quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

A Arte de Espiar...

Pegando carona no tema do meu último post, continuo falando sobre televisão, coisa que eu particularmente adoro.

Essa semana a Globo deu início ao Big Brother 9, confinando 14 pessoas na casa mais famosa do Brasil, sem falar em outras 4 presas numa “gaiola” de vidro exposta no shopping carioca Via Park por uma semana, até que de lá, através do voto popular, uma delas ganhe passaporte pra voltar ao Projac.

A essa altura, preciso confessar que sou uma expectadora assídua do Big Brother. E podem me criticar, não tô nem aí... gosto mesmo... assisto, discuto, torço, ainda que de todos os BBB´s apenas dois dos meus favoritos tenham vencido: Cida (BBB4) e Alemão (BBB7). Ah, Jean também foi legal (BBB5), mas eu adorava Gazi...

Apesar de parte da população execrar o programa, acho que é uma atração de entretenimento como outra qualquer, bastante necessária à mídia televisiva e muito interativa. Realmente sou suspeita pra falar da qualidade do programa, sei que ele é bastante popular e aparentemente inútil, mas sou vidrada em reality shows desde que viraram moda em terras gringas.

É claro que apesar de ser telespectadora assídua tenho minhas críticas. Ligar e gastar dinheiro pra votar em qualquer enquete do programa ou na saída/permanência de qualquer participante está fora de cogitação, mas tenho que admitir que já fiquei horas votando pela internet por determinado “brother”, não vou mentir... :p

Mas por que o Big Brother é tão popular no Brasil?

Andei pensando sobre isso desde terça quando o BBB9 foi ao ar. O primeiro programa exibiu imagens das grandes filas nos processos de seleções, da ansiedade da centena de milhares de candidatos e a emoção de quem conseguiu ser classificado. As imagens impressionam... talvez hoje seja mais fácil ganhar na mega sena que entrar no Big Brother.

Motivo? Acredito que muito mais do que pelo prêmio de R$1Milhão as pessoas querem ser vistas... a perspectiva de fama é muito mais importante que qualquer prêmio que a Rede Globo possa oferecer, e para atingir esse objetivo vale qualquer coisa, inclusive assinar um contrato onde praticamente se venda a alma...

O fato é que todo mundo quer aparecer, todo mundo quer seus cinco minutos de fama, e o Big Brother, indiscutivelmente, é um grande canal pra isso. Mas não é o único. Se você não pode ser um "brother" você pode ganhar seus cinco minutos de fama sem sair de casa. Como? Ora, o que você acha que fazem os 23 milhões de usuários do Orkut no Brasil?

Criado pela Google em 2004 para ser um simples site de relacionamento e voltado ao público americano, o Orkut acabou encontrando seu maior número de participantes no Brasil! No Orkut neguinho coloca a foto do carro, da cobertura, da fazenda, da viagem à Europa, da guitarra importada, do casamento, do marido/mulher, dos filhos... todas as suas conquistas estão ali expostas pra que seus “amigos” e mais um sem número de usuários possa ver. Isso sem contar nas mensagens de entrada, onde os pseudo intelectuais vivem seus dias de genialidade, citando filósofos e escritores retirados de sites chulos via Google...

No Orkut, além de passar na cara de todo mundo a sua vida boa, você ainda pode mandar nas entrelinhas um recadinho pra aquela amiga traíra, pro paquera chiclete, pro ex-namorado recalcado, pro visitante entrão... enfim, mata-se dois coelhos com uma cajadada só!

Então você deve estar pensando que eu odeio o Orkut. Tsc tsc tsc... Eu bem que gosto dos meus cinco minutos de fama, ainda que ultimamente sem exageros. Mas que tem gente que exagera... putz... AH TEM!!! Meu Chá Maratá de simancol, please...

5 comentários:

Lua Oliva disse...

"...onde os pseudo intelectuais vivem seus dias de genialidade, citando filósofos e escritores retirados de sites chulos via Google..."

Essa sou eu.
HAHAHAHAHAHAHAHA.

Paula Dantas disse...

Não, Lua... vc lê! Tô falando do tipo de gente que nunca abriu um Machado de Assis e ainda recita Edgar Alan poe... ;)
"Beijucas"

Abiiiiigo disse...

Nunca comentei aqui!
mais um belo post

To com saudades...
bju

Vera disse...

Gostei. Só esqueceu de dizer que mtos do que dizem "não suportar" o BBB se fizer uma pergunta qualquer sobre o mesmo, de "sopapo", respondem na chapa, ali, na hora. Ou seja, vê, lê, acompanha, gosta, torce e, prá mostrar que não vê "banalidades" na tv diz que não gosta. Faça o teste. É mto engraçado.
Sou fã do programa e assisto desde o 1º no PPV. Aliás, assistimos. Bjocas

Dani Barros disse...

EU TB AMO O BIG BROTHERRRR

na edição do alemão eu passava horas votando... kkkkkkk
fora as horas que passo lendo na net as notícias, principalmente quando começa a rolar as picuinhas... kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

e acho engraçadíssimo ver as pessoas lá dentro tentando figir que são assim ou assado, achando que nós espectadores não percebemos a forçação de barra!!! kkkk

e minha bbb favorita de todos os tempos é, foi e sempre será Grazi lindaaaaa!!!!

quanto ao orkut... tb concordo com vc.... é uma maneira que nós encontramos de expor nossas conquistas... uns mais, outros menos...
eu, pelo menos, nunca vi um perfil de uma pessoa se descrevendo como mesquinha e invejosa, solteirona encalhada e infeliz... hehehehehe


Ótimo texto Paulinha!!! tá de parabéns de novo!!!