segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Manu Chao e sua trupe!

Quero escrever sobre o Projeto Verão que aconteceu na orla da praia de Atalaia na última semana, mas estou com medo de ‘soltar os cachorros’ demais. É que nunca senti Aracaju tão sem graça quanto nos últimos tempos... ultimamente não troco meu sofá e os DVD´s de Sex and The City (emprestados pela minha boa amiga Karine) por N-A-D-A... e só os trocarei pelo carnaval porque passarei em Salvador. Justifica, né?! Mas aí é assunto pra outro post...

Pois é, depois do Pré-Caju e do Verão Sergipe (outras duas belas porcarias), chegou a hora do Projeto Verão. As atrações eram ótimas, Lenine, Gil, O Rappa... eu realmente não estou falando mal do governo estadual ou municipal, a iniciativa deles é ótima e eu os parabenizo, mas eu não sei bem o que acontece por aqui... é uma profusão de gente feia e desentusiasmada que vâmo combinar, né?! Putz... a gente fica se perguntando a noite toda “pra que merda eu fui sair de casa...”.

Enfim, de tudo que tem rolado no verão sergipano a única coisinha que se salvou foi o show de Manu Chao nesse último sábado, E OLHE LÁ!!! Só saí para assisti-lo e fui obrigada a esperar Chorão berrar asneiras no meu ouvido com seu Charlie Brown Jr. antes de poder ver o “clandestino” subir no palco.

Mais de 1h da matina e finalmente o doidão entrou em cena. Pulando com junto com os músicos (que conseguiam ser mais esquisitos que ele... o que era aquele baixista???), Manu Chao levantou a galera, fato que eu acompanhei de perto enquanto era puxada pela mão e me enfiava em frente ao palco...

Ele tocou uma música... duas, três, quatro...epa, mas peraí!!! Será que toda vez que ele cantar uma música ela vai ter que acabar do mesmo jeito, com acordes rápidos, em ritmo de carnaval??? Da primeira vez foi ótimo, todo mundo pulou... da segunda foi legalzinho... da terceira eu já comecei a olhar a galera em volta... da quarta em diante encheu o saco, né?! Comecei a me lembrar dos espetáculos de circo, quando depois de cada apresentação a mesma música é tocada enquanto o público aplaude: “pã pã pãpãpãpãpããããpããããã pãpãpãpãpããããpããããã pãpãpãpãpã pãpãpãpãpãpãpã...”. Era muito igual, gente... que coisa irritante!!!

No meio do show ele desistiu dessa coisa de circo, o que pra mim foi um alívio. Foi quando eu mais curti o som... rolou ”Clandestino”, pra delírio da massa, mas pro meu delírio, em especial, rolou “Minha Galera”. Adooooooooro!!! hihi

Infelizmente, Manu e sua trupe voltaram a insistir no “carnaval circense” e minha paciência chegou a níveis baixíssimos... por sorte encontramos uma galera que estava no camarote e pra lá seguimos com eles. A expectativa era tirar uma foto com Manu, além de beber umas cervas free, lógico... mas o francês continuou tocando que nem louco e quando resolveu descer do palco ficou trancafiado no camarote... nem o governador conseguiu cumprimentá-lo, que dirá nós...

A pergunta é: valeu a pena colocar Manu Chao no currículo? Confesso-lhes que assistir ininterruptamente a quase toda terceira temporada de Sex and the City no domingo foi menos exaustivo que assistir ao circo de Manu e seus companheiros... mas eu não me perdoaria se não tivesse ido escutar "Clandestino", "Minha Galera", "Me Gustas Tu", "Welcome to Tijuana", "La Despedida", "Luna y Sol"...

3 comentários:

Luli Facciolla disse...

Aaaaaaahh... Eu perdi o show que teve em SSA... :(

Beijos

Kaká Barbosa disse...

quem é sua amiga Karine???? conheço não....

Andre Dantas disse...

shows, carnavais, night e Aracaju são um estado de espírito! :)

xeros e Mano Tchau!!! (trocadilho irritante esse, mas funciona!!)